sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Meu gosto peculiar pela literatura

Descobri o real motivo pelo qual eo gosto tanto de ler.
Prontos para mais uma viagem nostálgica?
Quando eo era pequena, eo gostava muito de ficar olhando as figuras das revistas da cabeleireira da minha mãe, não entendia nada, mais pra mim era totalmente claro.
Me lembro que na casa de minha madrinha, haviam MUITOS gibis, e eo sempre pedia a minha mãe que lesse pra mim.
Claro, ela nem sempre foi compreensiva com a minha necessidade de leitura.
Fazia manhaa ( que nunca funcionava), mas minha mãe nunca foi muito disposta e dizia:
- Logo você aprende a ler sozinha e vai poder ler tudo o que quiser.
Bom, foi o que eo fiz.
Com uns 3, 4 anos comecei a escrever as letrinhas no quadrinho que minha mãe me deu.
Sabia todos os nomes de casa.
Depois comecei a ler na rua.
Placas, outdoors, lojas.
Tudo que via pela frente era consumido pela minha fome insaciável de leitura.
O que logo não foi mais suficiente.
Comecei a ler os livrinhos da escola. Eo lembro do nome do primeiro livro que lí sozinha:
obs: não ria, esse era realmente o nome do livro.
A perereca sapeca! *-*
E não parei mais.
Depois de muitas suplicas, ganhei alguns livros.
E depois de ler,reler, e reler novamente e novamente e novamente ...
Minha mãe viu que eo necessitava de algo maior.
Comprou uma caixa com vários livros maiores.
Que era do nível de leitura do meu irmão , 2 anos mais velho.
Ele nunca leu.
Mas eo lí , lí muitas vezes e os tenho até hoje.
E nunca fui lá de ter muitos amigos.
Quem leu "Algumas maneiras de lidar com a dor", deve imaginar o por que.
Meus grandes amigos sempre foram os livros.
Fui crescendo e me aprimorando, ficando mais criticiosa.
Nunca li os livros indicados a minha idade.
Pegava livros de 5ª a 8ª série , estando na 2ª.
E depois da 3ª série comecei a ser recompensada por isso.
As pessoas me pagavam pra ler e contar a história em véspera de prova.
Era divertido.Sempre um desafio maior que o outro.
E finalmente, hoje, ( sem falsa modéstia) eo sou a recordista escolar de leitura.
Ninguém no colégio leu mais que eo.
E fico orgulhosa de mim mesma por isso :)
E quando um babaca vem e chuta meu livro, ou pergunta :"Como você consegue ler isso?!
Olhaa o tamanho das letras, ee puxaa quantas pááginas!!"
Eo dou o meu melhor olhar frívolo. Respiro.
Acabo sorrindo e dizendo : É, ele bem bacana, você devia ler também.
Claro que a pessoa me da aquele olhar de : você é estranha.
E eo novamente só sorrio.
O que mais eo poderia fazer?


ps: Este post é dedicado a tia silvânia, responsável pela minha alfabetização e a minha mãe que me insentivou muito, não lendo pra mim :)

4 comentários supimpas:

Jessica Lara disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Felipe Marins disse...

"Fui crescendo e me aprimorando, ficando mais criticiosa..."

Discordo....de resto , belo conto da sua vida

Ps: que bela memória você tem

Armando disse...

TIA SILVANA RULEEES!

Anônimo disse...

se vc leu TANTO pq escreve no blog com varios erros de gramática?tipo "insentivando" e "eo" ou "naum"